WWF-Brasil: Faça uma doação pelo Cerrado

 em Destaque, Goiás

Há 19 anos, o WWF-Brasil trabalha pela proteção da natureza. Nós estamos conectados com o meio ambiente e dependemos dele para sobreviver. É de onde tiramos a água, a energia e os alimentos que fazem parte do nosso dia a dia. Por isso, desenvolvemos projetos que ajudam a proteger diversas áreas ambientais, como o Cerrado. No mês de setembro é comemorado o Dia Nacional do Cerrado e o WWF-Brasil chama a atenção para esta região tão importante e pouco conhecida!

O Cerrado fica no coração do Brasil e é a casa de mais de cinco mil espécies brasileiras, como o Lobo-Guará, o Tamanduá-Bandeira e a Onça-Pintada, e abastece reservatórios e bacias hidrográficas de todo o país, sendo conhecido como “o berço das águas”.

Porém, toda essa riqueza está ameaçada! O Cerrado já perdeu metade da sua vegetação original e somente 10% dele está protegido por lei. Além disso não tem o reconhecimento de patrimônio nacional e uma lei de uso sustentável.

Um ecossistema ameaçado

O Cerrado é o segundo maior bioma do Brasil, atrás apenas da Floresta Amazônica. Esta região conecta três países da América do Sul (Brasil, Bolívia e Paraguai) e funciona como um elo entre quatro dos cinco biomas brasileiros: Amazônia, Caatinga, Mata Atlântica e Pantanal. O Cerrado é a casa de 5% de todas as espécies no mundo e abriga 30% da biodiversidade do país. Suas águas alimentam três gigantescos reservatórios – Bambuí, Urucuia e Guarani – e seis das oito grandes bacias hidrográficas brasileiras – Amazônica, do Tocantins, do Atlântico Norte/Nordeste, do São Francisco, do Atlântico Leste e do Paraná/Paraguai.

De toda extensão do Cerrado, apenas 10% estão efetivamente protegidas por unidades de conservação, sendo somente 3% na categoria de proteção integral. A expansão de pasto para criação de gado, o cultivo de soja, os desmatamentos para produção /de carvão vegetal nativo, a expansão urbana e os incêndios florestais de causa antrópica têm figurado como principais vetores de degradação do Cerrado. Estes fatores geram também alguns dos problemas com os quais a humanidade se confronta, como o aumento do aquecimento global, a superpopulação, a extinção de espécies, a escassez de água e os desastres naturais.

Entre repetidas promessas de um modelo de desenvolvimento sustentável, essa região estratégica para o futuro do país tem sua vegetação nativa diariamente consumida. Ora pelo desmatamento, ora pelas queimadas. Só não mudam os motivos: ampla margem legal para desflorestamento (80% das propriedades rurais), extração ilegal de madeira e de carvão, avanço desregrado da agropecuária, da urbanização e da geração de energia.

Apesar das agressões impostas ao longo de cinco décadas, a “caixa d’água do Brasil” ainda abastece grandes reservatórios e bacias hidrográficas, inclusive para a Amazônia e Mata Atlântica. O Cerrado já perdeu mais de 100 milhões de hectares de sua vegetação – o mesmo que toda a área da Europa ocidental.

O Brasil pode e deve equilibrar de vez a balança entre produção e conservação, construindo um caminho mais seguro para um futuro de incertezas climáticas, onde ainda precisaremos produzir alimentos e commodities.

A atuação do WWF no Cerrado

O WWF-Brasil, por meio do Programa Cerrado Pantanal, desenvolve desde 2010 o Projeto Sertões, atuando na savana mais rica em biodiversidade do planeta. A iniciativa de cuidar do Cerrado foi criada a partir de uma análise de ameaças e oportunidades, escolhendo o Mosaico Sertão Veredas Peruaçu como local de trabalho. O foco principal deste projeto é o incentivo à adoção de boas práticas de produção agropecuária, implementação e gestão integrada das unidades de conservação, implementação de ações de planejamento territorial com objetivo de conservação e valorização do Cerrado, visando maior reconhecimento da população a respeito desse importante bioma brasileiro.

Contribua: http://www.kickante.com.br/campanhas/wwf-brasil-queremos-o-cerrado-por-inteiro-junte-se-nos

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar