SMT já registra 120 multas por estacionamento na ciclofaixa em Goiânia

 em Destaque, Goiás

Já foram registradas na ciclofaixa de lazer, programa criado em 26 de julho pela Prefeitura de Goiânia para ciclistas ao redor e entre os parques Vaca Brava, Areião e Lago das Rosas, 122 multas contra motoristas de veículos por estacionamento irregular. Como desde a inauguração, sem considerar ontem, já se passaram 20 domingos, é praticamente 6 flagrantes por dia. A proibição ocorre em todos os domingos, entre às 7 e 16 horas em toda a extensão das ciclofaixas, não podendo nem ao menos parar em embarque ou desembarque. A multa para quem é flagrado estacionado é de R$ 127 e 5 pontos na careira de habilitação.

Dos 120 flagrantes, 46 terminaram com os veículos sendo guinchados. Em outro caso, os agentes da Superintendência Municipal de Trânsito, Mobilidade e Transportes (SMT) teve de recolher uma caçamba. E as infrações continuam: na manhã de ontem, um Citroen C4 Pallas, com placas de Anápolis, estava estacionado na contramão e em cima da faixa de pedestre e da ciclofaixa na Avenida T-3, no Setor Bueno, trecho que faz parte da ligação entre o Parque Vaca Brava e o Lago das Rosas.

O veículo já estava notificado quando a reportagem chegou ao local e permaneceu estacionado na faixa proibida por pelo menos 30 minutos. Ao que tudo indica, se tratava de alguém que visitava os moradores da casa que estava em frente. Segundo o secretário da SMT, Andrey Azeredo, normalmente os condutores justificam o cometimento das infrações com uma suposta falta de informação. “É a mesma conversa de sempre, de que não sabiam, que quase não passam no local, que seria rapidinho.”

Nos vinte minutos que a reportagem esteve no local em que o veículo estava estacionado, oito ciclistas passaram pela rua, sendo dois deles com uma criança na garupa, e tiveram de desviar do automóvel, correndo o risco de sofrer algum acidente, já que o espaço para a passagem ficou reduzido. Com o veículo estacionado, os ciclistas reduzem o ritmo e olham para trás, verificando se algum carro vai passar na mão da rua, para depois fazer a ultrapassagem e retornar à ciclofaixa.

Pior à tarde

Andrey Azeredo afirma que, apesar do alto número de flagrantes, percebe um maior respeito dos condutores de veículos após quase cinco meses de implantação das ciclofaixas. “No começo não tinha guincho que dava para o tanto de carro que tínhamos de retirar, agora isso já vai diminuindo ao tempo que vemos um maior número de ciclistas nas ruas”, diz. O maior problema, no entanto ocorre no período da tarde, especialmente após às 13 horas, quando o número de ciclistas diminui nas ruas e os motoristas passam a se achar, novamente, donos da faixa.

As principais autuações neste período ocorrem no Parque Vaca Brava, em frente a um supermercado, na Avenida T-15, e a um hospital, na Avenida T-5, e também nas ruas T-50 e T-51, nas proximidades do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), todos no Setor Bueno. Outro ponto onde o desrespeito é frequente é na Rua T-60, também no Setor Bueno. Segundo o secretário, o procedimento dos agentes de trânsito é de autuar o veículo e continuar o patrulhamento. Na próxima vez que passar no local e o veículo permanecer, chamar o guincho. O giro da rota, aos domingo, dura cerca de 15 minutos.

Já no final do período de funcionamento da ciclofaixa de lazer, após às 15h30, são infrações recorrentes o uso da ciclofaixa também no Parque Areião, em frente ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo), e no Vaca Brava pelos próprios vendedores de água de coco. “Até este horário, os vendedores nos ajudam, chamando os agentes sempre que um carro para, pois eles não querem perder a vaga em que estacionam os carrinhos. Mas quando vai chegando perto das 16 horas eles mesmos ocupam o espaço que ainda seria dos ciclistas”, conta.

via O Popular

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar