Seminário discute os caminhos da água

 em Goiás +20

A Secretaria do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos de Goiás (Semarh) realiza, de 24 a 26 de abril, o 1º Seminário Estadual de Recursos Hídricos, na cidade de Caldas Novas. Com uma extensa programação, o Seminário vai abordar os principais pontos de discussão no que se refere à gestão dos recursos hídricos em Goiás.

O Seminário começa na quarta-feira, dia 24, com a abertura oficial. Mas as palestras e discussões vão ocorrer a partir de quinta-feira, dia 25. O primeiro tema abordado será justamente a Gestão dos Recursos Hídricos, com o secretário Executivo do Fórum Nacional dos Órgãos Gestores de Água (Fnoga), Luiz Henrique Noquelli. A Integração da Gestão de Recursos Hídricos com a Gestão Ambiental também ganha destaque.

O Plano de Recursos Hídricos abre os trabalhos da tarde. Porém, o que deve atrair maior atenção é o debate sobre Usos Múltiplos versus Conflitos pelo Uso dos Recursos Hídricos, com representantes do setor agropecuário, energético, de abastecimento público e da sociedade civil.

PSA
Na sexta-feira, a palestra sobre o pagamento por serviços ambientais, que inclui o Programa Produtor de Águas, da Semarh, vai discutir as formas encontradas para que proprietários de terras que possuem nascentes d’água recebam recursos financeiros para manterem essas áreas protegidas. Goiás tem implantado este programa na Bacia Hidrográfica do Ribeira João Leite e no município de Rio Verde, onde produtores já recebem para preservar.

Outros temas como Monitoramento dos Recursos Hídricos, Águas Subterrâneas e a Gestão Compartilhada da Água, por meio dos Comitês de Bacias Hidrográficas completam a programação. Todas as inscrições para o Seminário foram preenchidas em uma semana, e o evento contará com representantes da Agência Nacional de Águas (ANA), representantes dos comitês de bacias e de municípios de todas as regiões de Goiás.

Atualmente, a Semarh coordena uma série de ações voltadas à gestão do uso da água. Entre elas, duas recebem atenção especial: a criação dos comitês de bacias hidrográficas e a elaboração do Plano Estadual de Recursos Hídricos. Nos últimos 2 anos, quatro novos comitês de bacia foram criados, um foi reativado e três estão em gestação. O Plano Estadual de Recursos Hídricos está sob análise do Banco Mundial para liberação de recursos, que devem chegar a R$ 2,5 milhões.

Fonte: SEMARH, Imprensa.

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar