Reservatório de Goiânia bate nível crítico 1, porem Secretária Estadual de Meio Ambiente não acredita em falta d’água

 em Destaque, Goiás, Meio Ambiente, Sustentabilidade

             A Bacia Hidrográfica do Meia Ponte atingiu nível crítico 1 nos últimos dias com um vasão de 5.500 litros por segundo, e mesmo com algumas chuvas por todo o estado não houve melhora no nível dos reservatórios, no entanto Andréa Vulcanis, secretária da Semad afirma que apesar de termos atingido o nível crítico 1 no mesmo período do ano passado estávamos em nível crítico 3.

          “Nós fizemos uma intervenção desde o ano passado na gestão dos recursos hídricos, desde o cadastro dos usuários da bacia, os níveis medição nas bombas de água, para saber a quantidade que cada um utiliza. Iniciamos todo processo de regularização desses usuários, concessão das outorgas, trabalhamos também com a questão das o levantamento dos maiores usuários”, informou a secretária do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis.

            De acordo com secretária do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad), Andréa Vulcanis, intervenções como cadastro dos usuários da bacia, regularização destes e concessão de outorgas contribuiram para o rastreamento do uso da água ao rastrear os maiores usuários da rede.  Todas as medidas visaram o não desabastecimento de Goiânia, alegando que mesmo no momento mais crítico da seca ainda possuímos níveis satisfatórios para garantir uma segurança hídrica para a região.

          A Bacia Hidrográfica do Meia Ponte abastece 39 municípios e localiza-se na região Centro-Sul do estado. E seus maiores usuários são: a agricultura irrigada 42,6%; o abastecimento público 34,1%; as indústrias 8,5%; a pesca e aquicultura 8,5%; a pecuária com 3,9% e a mineração correspondente a 2,4% do uso.

          Já em São Paulo a região não passa pela mesma realidade, vendo seus reservatórios chegarem a 56,4% de sua capacidade frente aos 69% do ano passado. O sistema Cantareira foi o mais afetado, fechando agosto com 47,9% da capacidade – contra 50,3% no ano passado.

          Para o Centro-Oeste espera-se que a estação chuvosa tenha início agora em outubro, com maiores chances na segunda quinzena deste mês. Até lá o tempo segue quente com baixa umidade.

Por: Danilo Andrade Nery

Leia mais em:

https://www.jornalopcao.com.br/ultimas-noticias/secretaria-estadual-de-meio-ambiente-acredita-que-nao-havera-falta-de-agua-neste-ano-em-goiania-284043/

https://jornal.ufg.br/n/133551-bacia-que-abastece-regiao-metropolitana-de-goiania-atinge-nivel-critico-1

https://www.redebrasilatual.com.br/ambiente/2020/09/represas-grande-sao-paulo-atencao/amp/

 

Postagens Recomendadas

Deixe um Comentário

Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar