Iniciativas pioneiras promovem a sustentabilidade em Goiânia

 em Urbe

Goiânia está longe de ser uma cidade sustentável, é fato. Mas a capital conta com diversas pessoas que empregam talento e tempo para promover a sustentabilidade por meio de intervenções urbanas ou formação de grupos para o desenvolvimento de atividades. O blog separou cinco iniciativas, em diferentes áreas, para mostrar que é possível, sim, aos centros urbanos, se desenvolver de uma forma que respeite tanto o ser humano quanto a natureza.

Para transformar locais ocupados por veículos em áreas de convivência, o estúdio Sobreurbana desenvolve projetos de parklets e vagas vivas (de caráter temporário). O grupo monta estruturas que remetem a mini praças, com o objetivo de rediscutir a divisão do espaço da cidade entre carros e pessoas. “Os parklets incentivam o uso dos espaços públicos, a interação entre pessoas, o comércio local e o deslocamento não motorizado. Também valorizam os pedestres e acrescentam mais verde e conforto à paisagem urbana”, explica a arquiteta Carol Faria, uma das idealizadoras do Sobreurbana.

O projeto teve início com uma vaga viva instalada por uma semana na porta do Sobreurbana, no Centro . Depois, instalaram o primeiro parklet da cidade, uma plataforma móvel junto à calçada da Rua Mário Bittar, em frente a Casa Cor 2015. O segundo foi montado na Praça Adélia Martins, na Avenida 137, Setor Marista. Há previsão para a construção do terceiro parklet no Setor Aeroporto.

Em meio ao concreto da Avenida 85, no Setor Sul, posts de iluminação pública ganharam 19 casas de passarinhos. A instalação do artista Jhony Robson “para chamar a atenção para a falta do verde”, levou beleza ao local, por meio das casinhas coloridas, e se transformou em parada certa para aves da região.

A promoção da cultura da bicicleta é foco do GO Ciclo, grupo formado por ciclistas de todas as idades. Além de incentivar o uso de um veículo não poluente e da atividade física, os passeios do GO Ciclo são uma ótima opção para quem quer mais contato com a natureza. Os passeios contam com percursos em locais como o Jardim Botânico de Goiânia, a Serra das Areias e o Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco (Parque Ecológico de Goiânia).

Cuidar da praça não é obrigação apenas do poder público. É o que mostram moradores do Setor Aeroporto, que se uniram para garantir um melhor estado de conservação da Praça do Avião. Entre os moradores que estão à frente do grupo está a professora da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) Maria Ester. A população luta contra a degradação do local e cobra, constantemente, ações de revitalização da prefeitura.

Pioneira na produção sustentável de alimentos, a Associação para o Desenvolvimento da Agricultura Orgânica em Goiás (Adao-GO), reúne 15 produtores e 70 associados. O principal ponto de encontro do participantes são as duas feiras da Adao em Goiânia, um na quarta-feira, no Mercado da Vila Nova, e outra nas manhãs de sábado, no Mercado da Rua 74, Centro. “A cultura da agricultura orgânica é baseada na troca de informações. As feiras promovem essa relação direta do produtor com o consumidor. Além do produto sair mais barato que nos supermercados, a interação é tanta que nos tornamos quase que uma família”, diz o engenheiro agrônomo Adib Pereira, integrante da associação.

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar