Grandes frigoríficos de olho no rastreamento sustentável de gado na região amazônica.

 em Sustentabilidade

O agronegócio brasileiro vem enfrentando pressões para que crie cada vez mais ferramentas que garantam o desenvolvimento sustentável principalmente em áreas sensíveis como a região amazônica e o pantanal. Pensando nisso grandes indústrias do setor como JBS, Marfrig e Minerva lançam projetos para garantir a procedência sustentável de seus fornecedores diretos e indiretos, vendo essa oportunidade como uma chance de agregar valor ao seu produto e garantir segurança alimentar e ambiental de forma conjunta.

Se tratando de gado, a rastreabilidade de fornecedores diretos já é uma realidade, o grande problema na rastreabilidade são os fornecedores indiretos, ou seja, produtores que vendem bezerros ou boi magro para os fornecedores diretos que realizarão a engorda e venda para os frigoríficos, muitos desses animais vêm do sul do Pará e de regiões pantaneiras. Para realizar esse projeto as empresas pretendem criar um banco de dados onde os fornecedores realizam cadastro e seus dados são cruzados com dados de órgãos governamentais como IBAMA, e imagens geoespaciais obtidas pelo CAR (cadastro ambiental rural), assim seria possível rastrear até mesmo os fornecedores indiretos uma vez que seus fornecedores diretos teriam que passar a procedência de seus animais adquiridos via GTA (guia de trafego animal).

Pela GTA é possível localizar as fazendas de fornecedores indiretos via inscrição estadual que consta no documento da agrodefesa, sendo feita avaliação da situação ambiental da propriedade com cruzamento de dados, caso seja reprovado o lote de animais não seria aceito pelos frigoríficos. Com esse programa mesmo produtores que não vendem diretamente para frigorificos passariam a enfrentar dificuldades para vender seu rebanho caso não estejam com regularização ambiental em ordem.

Alguns produtores alegam que isso se trata de um artifício para coletar dados da pecuária brasileira visando melhor controle de preços do mercado, outros são favoráveis a ideia pois enxerga uma valorização de seus esforços no campo para garantir produção de alimentos com qualidade e de forma responsável. Segundo a JBS a plataforma estará pronta até o final deste ano e começa a receber adesão de produtores em 2021, a intenção é concluir todos os projetos até 2025.

Essa iniciativa surgiu depois de fortes pressões de grupos comerciais nacionais e estrangeiros incluído clientes dos grandes frigoríficos do Brasil.

Por: Danilo Andrade Nery

Saiba mais em:

https://comoinvestir.thecap.com.br/jbs-marfrig-e-minerva-anunciam-projetos-para-controle-de-gado/

https://www.canalrural.com.br/programas/informacao/mercado-e-cia/desmatamento-amazonia-jbs-fornecedores-indiretos/

 

Postagens Recomendadas
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar