Governo realiza os primeiros pagamentos do Programa Produtor de Água do João Leite

 em Goiás +20

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh) realizou ontem a entrega dos primeiros pagamentos do Programa Produtor de Água do João Leite. O Estado de Goiás agora integra o grupo de estados que realizam pagamentos por serviços ambientais (PSA), por incentivar com recursos financeiros aqueles que preservam as nascentes d´água.

O Programa Produtor de Água do João Leite não é o primeiro do Brasil. No entanto, segundo o secretário Leonardo Vilela, este programa é único quando se trata da sua abrangência. “O João Leite é o maior do gênero no país, ele abrange sete municípios e mais de 700 nascentes, além de cobrir 761km² de área, com a extensão de 130 quilômetros”, afirmou.

Leonardo Vilela destacou ainda a importância de implantar esta política de pagamento, pois o produtor abre mão de realizar outras atividades em sua propriedade, como a lavoura ou um pasto. “Nada mais justo que ele receber por isso. O produtor passa a ser o grande salvador da natureza e não mais o destruidor, assim ele não vai deixar ninguém poluir”, explica.

O Programa do João Leite é uma medida que garante água de qualidade e barata para boa parte da população goiana. “Esta iniciativa de preservar é simplesmente cuidar da vida de 2 milhões de pessoas. O bem mais precioso que temos é a água”, diz o presidente da Saneago, Júlio César Vaz.

De acordo com o Procurador-Geral de Justiça, Lauro Machado, é melhor pagar para os produtores preservarem do que pagar mais caro no futuro e não ter água de qualidade. “É mais barato preservar a biodiversidade do que ter que repor depois. Não adianta ter terra se não tem água”, diz.

Reservatório

O reservatório do João Leite é uma Unidade de Conservação e vai abastecer Goiânia por pelo menos 25 anos. “Já recebi muitos pedidos para o lago do João leite ser usado para fins esportivos, comerciais e para construção imobiliária, mas eu nunca permiti abrir a barragem, ele será usado para abastecer a cidade”, declarou o governador Marconi Perillo.

A adesão ao Programa é voluntária, cabendo ao produtor rural decidir se participa. Proprietária de uma fazenda voltada para agropecuária no município de Ouro Verde de Goiás, Márcia Helena do Nascimento reforça a importância do Programa: “agora passamos a ser valorizados, isso nos incentiva. Vou contribuir para a preservação do meio ambiente e a melhoria de vida de milhares de pessoas”.

Márcia Helena do Nascimento recebeu um cheque de R$ 1 mil do governador Marconi Perillo, assim como Augusta Maria Pereira, outra produtora no município de Ouro Verde. Os outros beneficiados foram Cairo César Borges; Abílio Rodrigues e Nair Baquião, todos do município de Nerópolis.

O evento contou também com a presença do presidente da Amma, Pedro Wilson e do secretário de Cidades, João balestra, além do presidente do Consórcio Intermunicipal do João Leite, Francisco Júnior e o presidente da Bacia Hidrográfica do Rio Meia Ponte, Igor Montenegro.

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar