Fica 2015 não contará com nenhum show nacional

 em FICA
Festival será focado em cinema e meio ambiente

Goiânia – A edição deste ano do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica) não terá nenhuma atração musical nacional em sua programação. A informação foi anunciada com exclusividade ao jornal A Redação pela secretária de Estado da Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira. Segundo ela, o festival será prioritariamente focado em atividades voltadas ao cinema e meio ambiente, seguindo a proposta original do evento, lançado em 1999. Neste ano, o Fica chega à 17ª edição e será realizado entre os dias 23 e 28 de junho, na Cidade de Goiás.

Em entrevista ao AR, na tarde de sexta-feira (10/4), Raquel Teixeira argumentou que a mudança atende duas recomendações: uma do governador Marconi Perillo, de adequar as ações da secretaria ao ajuste econômico por que passa o Estado de Goiás, e a outra do setor audiovisual goiano, que há anos reivindica reformulação que direcione a programação do Fica às áreas cinematográfica e ambiental.

Ao AR, a secretária anunciou ainda novidade relativa aos recursos para o festival neste ano, que foram reduzidos de R$ 4 milhões para R$ 2,5 milhões. “Cortamos na parte de shows, porque o Fica nasceu como um festival de cinema internacional ambiental. O foco era cinema e meio ambiente. Ao longo desse período ele virou multicultural, inseriu novas atividades, atrações, a parte de show ficou muito forte. Mas em uma análise com o governador, nós achamos prudente retomar o formato original do Fica, com foco em cinema e meio ambiente”, antecipou a secretária.

Raquel explicou que a decisão quanto às apresentações musicais de artistas goianos será definida junto a entidades e representantes do setor em Goiás. No entanto, duas atrações já estão confirmadas: A Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás fará a abertura do festival, em 23 de junho, e a Orquestra Filarmônica de Goiás será a atração de encerramento, no dia 28, seguindo proposta de “valorizar a prata da casa”, de acordo com a secretária. A Filarmônica levará ao público um espetáculo com músicas que são temas de filmes.

Na avaliação da secretária, as mudanças estruturais no Fica serão positivas para o festival, especialmente em âmbito internacional. Durante entrevista ao AR, para exemplificar seu posicionamento, Raquel comentou que esteve recentemente com o adido cultural da Embaixada Americana no Brasil, Walter Kerr, e solicitou a ele auxílio para convidar o ecologista e político norte-americano Al Gore a participar do Fica, mas que não obteve retorno satisfatório. “Ele (Walter Kerr) me disse que o Al Gore consultou o Green Film Network e lá ele ouviu coisas do tipo ‘espere um pouco mais para o festival se consolidar como cinema e como ambiental’”, comentou.

Al Gore, conhecido por ter disputado a presidência dos Estados Unidos, em 2000, e lançado o documentário Uma Verdade Inconveniente, em 2006, é um dos militantes ecológicos mais respeitados em todo o mundo. “Então, essa é uma demanda inclusive internacional. Internacionalmente esse multiculturalismo não foi benéfico para o conceito original. Estamos retomando o conceito para fortalecer o cinema ambiental, até porque quero trazer o Al Gore aqui em algum momento”, declarou Raquel.

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar