Energia renovável representa 96% dos investimentos do PAC

 em Política

Dados apresentados no 1º balanço do PAC de 2015 , divulgado na segunda-feira (31) pelo ministério do Planejamento, mostram que os investimentos em energia elétrica realizados dentro do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) resultaram na acréscimo de 2.342 MW de potência instalada no País. Desse total, 96,2% tiveram origem em fontes renováveis.

Entre as obras que estão em construção neste ano destacam-se as Usinas Hidrelétricas Jirau e Santo Antônio, no rio Madeira (RO). A obra já conta com 64 unidades geradoras e acrescentará 4.686 MW de capacidade instalada ao sistema. Jirau está com 98,9% de suas obras concluídas e Santo Antônio tem 97,9%.

A Usina Hidrelétrica de Teles Pires (MT), com potência instalada de 1.820 MW, tem 99,5% das obras completas e deve começar a fornecer energia para o SIN a partir de novembro deste ano. A usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará (PA), que terá 11.233 MW de capacidade instalada, já está com 73% de suas obras realizadas.

Somente em 2015, já entraram em operação 42 usinas eólicas do PAC, acrescentando 1.092 MW à matriz elétrica brasileira, com energia limpa e renovável, que contribui para que o País cumpra o compromisso de aumentar o uso de fontes renováveis além da hidrelétrica até 2030. Entre eles, encontra-se o Complexo Eólico Verace (RS), com 258 MW de capacidade instalada.

Energia transmitida

Em projetos de transmissão de energia, em 2015 foram concluídas sete linhas de trans­missão, totalizando 926 km de extensão, além de seis subestações de energia. Esse total é 100% do que foi acrescentado neste ano ao Sistema Interligado Nacional.

Petróleo e gás

Na área de Exploração e Produção, destaca-se a entrada em operação de duas novas unidades estacionárias: P-61 e Cidade de Itaguaí. A Plataforma P-61 entrou em operação em março, no campo de Papa-Terra, localizada no extremo sul da Bacia de Campos (RJ), e opera em lâmina d’água de 1.200 metros. A P-61 completa o sistema concebido para produzir petróleo no campo de Papa-Terra, onde está instalado também o FPSO P-63, que iniciou sua produção em novembro de 2013.

Renovação de combustível

Em abril de 2015, o segundo trecho do Sistema Logístico de Etanol recebeu autorização de operação da ANP. O trecho Uberaba – Ribeirão Preto possui 143km de extensão e capacidade para transportar 8,923 milhões de m3 por ano de etanol. O primeiro trecho do alcooduto está em operação desde agosto de 2013 no Estado de São Paulo e transporta etanol entre Ribeirão Preto e a refinaria de Paulínia.

 

via Portal Brasil

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar