Dilma: etanol 2G é o futuro dos combustíveis renováveis

 em Política

via Portal Brasil

A presidenta Dilma Rousseff participou nesta quarta-feira (22), em Piracicaba (SP), da inauguração da Unidade de Produção de Etanol 2G da Raízen, empresa de energia. A fábrica possui capacidade de produção de 42 milhões de litros por ano de etanol 2G, combustível que emite 15 vezes menos dióxido de carbono se comparado ao comum. O etanol de segunda geração é obtido a partir do reaproveitamento do bagaço da cana e produz energia limpa e  renovável.

Em discurso na solenidade de inauguração, Dilma Roussef afirmou que o etanol 2G é uma conquista para o Brasil e a “materialização de um sonho”. Para a presidenta, a Raízen está na vanguarda da produção de etanol . “É simbólico que esta planta que representa o futuro nos combustíveis renováveis esteja localizada na Costa Pinto, unidade onde nasceu a Cosan. Aqui, se encontram tradição e inovação”, destacou Dilma, observando que a tecnologia tornará a produção do combustível eficiente e sustentável.

O projeto obteve 90% de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que aportou R$ 207,7 milhões. A seleção foi feita pelo programa Inova Empresa, parte do Plano Nacional de Apoio à Inovação Tecnológica e Industrial dos Setores Sucroenergético e Sucroquímico.

Segundo Dilma Rousseff, o etanol 2G representa um grande salto para o Brasil, possibilitando o aumento da produção em 50% sem ampliação da área de cultivo. Ela ressaltou a importância da inovação tecnológica para o novo ciclo de crescimento brasileiro.

“Estamos em um ano de travessia”, afirmou Dilma, destacando que o ano de 2015 abre novas possibilidades para o Brasil. “Estamos atualizando as bases da economia para podermos voltar a crescer dentro do nosso potencial e, ainda, ampliar esse potencial para consolidar a expansão da classe média e nos dar competitividade em relação aos demais países do mundo”.

A presidenta afirmou que o trabalho em parceria com a Raízen é um compromisso do governo, uma vez que o etanol é estratégico para o desenvolvimento do Brasil.

Liderança internacional

Dilma Rousseff destacou ainda que o etanol 2G fortalece a posição do Brasil como liderança no uso de fontes renováveis na matriz energética. “Ele nos qualifica ainda mais nas negociações internacionais sobre mudanças climáticas”, observou Dilma, referindo-se à participação do Brasil na COP 21, a conferência do clima que ocorrerá em Paris no final do ano.

Postagens Recentes
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar