Brasil e G77 pedem mais tempo para texto-base da Rio+20

 em RIO+20

A respeito do texto base da Rio+20, o Brasil e outros países em desenvolvimento pedem mais uma semana para a produção. Com a falta de avanço na sessão que aconteceu dia 04/05/2012 na sede da ONU, em Nova York.

O G77, bloco que inclui 130 países pobres e em desenvolvimento pretende apresentar o texto chamado “O Futuro que Queremos”, está longe de ter sido reduzido a um tamanho que possa ser formalmente negociado no Rio, em junho.

Uma delas é a chamada reforma nas instituições da ONU para que o desenvolvimento sustentável possa ser tratado como um tema específico e o fortalecimento do Pnuma (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente). O chamado “Rascunho Um” do “Futuro que Queremos” ainda não formulou uma proposta, apesar de o México ter tentado resolver o impasse nesta quarta-feira.

Outra questão pendente é o formato dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), que o Brasil enxerga como o principal resultado palpável da Rio +20. Os ODS foram derrubados da versão do texto em discussão em Nova York. “Temos confiança de que vão entrar adequadamente”, disse à Folha o embaixador Luiz Figueiredo, chefe da delegação brasileira. “O nível de detalhamento dependerá da negociação.”

Figueiredo tem se reunido com vários países pedindo mais uma semana para negociar o texto. A UE já deu sinais de que poderia apoiar a proposta, desde que as discussões sejam “objetivas”.

Nas últimas duas semanas em Nova York o que se tem visto é uma espécie de edição coletiva de texto, na qual uma proposta de texto é projetada num telão e dezenas de países dão sugestões de mudança. A reportagem da Folha acompanhou na manhã desta quinta-feira um debate de 40 minutos sobre a formulação de um único parágrafo.

Fonte: Folha UOL

Postagens Recomendadas
Contato Comercial

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar