Samba-enredo da Imperatriz Leopoldinense irrita agronegócio 0

Publicado em 20 de Janeiro de 2017

Brasília – O enredo da escola de samba carioca Imperatriz Leopoldinense provocou a reação de lideranças do agronegócio e entidades do setor. O samba “Xingu: o clamor que vem da floresta” exalta a luta dos povos indígenas e alerta para os riscos que sofrem as etnias nativas e, de acordo com a agremiação, não é uma crítica direta ao agronegócio. “Jardim sagrado, o caraíba descobriu/Sangra o coração do meu Brasil/O Belo Monstro rouba as terras dos seus filhos, devora as matas e seca os rios/Tanta riqueza que a cobiça destruiu”, diz trecho do samba-enredo, interpretado como uma crítica por lideranças do agronegócio.