Biólogos usam redes sociais para proteger tartarugas 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

Uma iniciativa simples tem ajudado a proteger as tartarugas e seus ninhos no litoral de Alagoas. Uma página na internet e um celular recebem informações das ameaças para a ação dos ambientalistas. Uma tartaruga da espécie verde morreu antes de chegar à areia para desovar. Todos os meses, uma média de 15 são encontradas mortas nas praias de Alagoas, a maioria depois de comer lixo no oceano. “Principalmente dos sacos plásticos e tampinhas de garrafa”, afirma o biólogo da Universidade Federal de Alagoas Álvaro Borba. Os biólogos do Instituto Biota, que monitora as tartarugas no litoral alagoano, agora usam

Tênis gera energia conforme usuário caminha 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

Em um cenário mundial de escassez energética e utilização centralizada nos combustíveis fósseis, os cientistas buscam, cada vez mais, novas formas de gerar energia. A novidade agora vem da Alemanha, onde um calçado gera energia conforme o usuário caminha. O gadget desenvolvido por pesquisadores alemães foi tema de um estudo divulgado na publicação  Smart Material and Structures . O tênis produz energia de duas formas diferentes. Uma delas é por meio do impacto do calçado com o solo. A outra é baseada no movimento do tênis durante a caminhada. “Ambos os dispositivos foram modelados e projetados com a restrição do tamanho em mente, a

Empresas de apps não são sustentáveis 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

De acordo com o relatório de desenvolvimento econômico da VisualMobile, metade (50%) dos desenvolvedores de iOS e 64% dos desenvolvedores do Android estão operando abaixo de uma “linha de pobreza” de US$ 500 por aplicativo por mês. O relatório incluiu respostas de mais de 10 mil desenvolvedores de 137 países. O estudo foi realizado ao longo de 5 semanas, em abril e maio. Segundo o  TechCrunch , a pesquisa aponta para a tendência de que uma pequena fração de desenvolvedores – na verdade, apenas 1,6% deles – gera a maior parte da receita da App Store. O estudo dividiu os

Plante árvores e concorra a prêmios! 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

A SOS Mata Atlântica acaba de lançar o Cartão Árvore, um sistema de plantio de árvores para aqueles que estão interessados em ajudar a restaurar e proteger os ambientes degradados da Mata Atlântica. Os interessados podem adquirir o Cartão Árvore pelo site  www.florestasdofuturo.org.br . A SOS Mata Atlântica plantará uma muda de árvore a cada cartão comprado, pelo valor de R$ 25,00. Ao adquirir o cartão, o interessado também poderá plantar uma árvore virtual e criar uma floresta pessoal em um divertido jogo online, além de acompanhar o plantio real da sua árvore no site. A ONG possui um sistema

Empresas começam a deixar São Paulo pela falta d’água 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

Várias empresas estudam deixar São Paulo pela crise hídrica e economia do estado pode afundar   A crise hídrica em São Paulo está levando empresas a direcionarem seus investimentos a outros estados. Indústrias estão migrando para Paraná, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Nordeste para reduzir o uso do mineral. Empresas do ramo de bebidas, papel e celulose, inclusive, fizeram o que o governador Geraldo Alckmin não fez: enxergaram uma possível estiagem, aliada à falta de planejamento, e, desde o ano passado, vêm se preparando para não sofrerem com os prejuízos da seca. A Coca-Cola e a Ambev, por

Torre é construída na Amazônia para estudar a região 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

A floresta tropical da Amazônia vai ganhar, ainda este ano, uma torre de 325 metros de altura para observação de mudanças climáticas na região. Batizada como Torre Atto (sigla em inglês para Amazon Tall Tower Observatory), será resultado de parceria entre Brasil e Alemanha. Os dois países vão investir R$ 7,5 milhões no observatório, que teve suas bases lançadas hoje (15) na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, a 150 quilômetros de Manaus. A previsão é que a obra seja concluída em novembro próximo. Como um dos ecossistemas mais sensíveis do planeta, que desempenha papel importante na estabilização

Por que a chuva de São Paulo não chega ao Cantareira? 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

 Chuvas isoladas na região metropolitana ocorrem devido a um fenômeno chamado ilha de calor, que provoca o aquecimento da metrópole   A chegada do verão trouxe chuvas para São Paulo. Algumas tão intensas que provocaram problemas como alagamentos, quedas de árvores e raios.  Apesar disso, o Sistema Cantareira não dá sinais de recuperação. Nesta sexta-feira, o nível dos reservatórios que o compõem chegou a 5,3%. A causa essa discrepância, e da falta de chuvas onde a cidade mais precisa no momento, é uma união de diversos fatores. Um bloqueio atmosférico está agindo o Sudeste do país. Trata-se do mesmo fenômeno

Brasil perdeu 37% da água tratada para consumo em 2013 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

Em 2013, pelo menos 37% da água tratada  não chegaram às torneiras do consumidorO desperdício entre o tratamento e a distribuição de toda a água consumida no país, em 2013, ficou em 37%. Os dados constam de um relatório do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (Snis), ligado ao Ministério das Cidades. O percentual ficou estável em relação ao verificado em 2012, quando o levantamento mostrou que, de toda a água tratada no período, 36,9% não chegavam às torneiras dos consumidores. Os números, que são os mais recentes, indicam que o desperdício permanece acima do percentual indicado pelo Snis,

Despoluição da Baía de Guanabara é prioridade 0

Publicado em 25 de Janeiro de 2015

A despoluição da Baía de Guanabara é um trabalho estratégico na agenda ambiental do Brasil, disse hoje (14), no Rio de Janeiro, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira. Ela ressaltou, entretanto, que a despoluição ambiental da baía não ocorrerá “da noite para o dia”. A baía vem sofrendo impactos bastante expressivos, disse ela, particularmente nos últimos 80/100 anos, com o “adensamento da população, o processo de industrialização e a ocupação da chamada bacia contribuinte da Baía de Guanabara”.  Por isso, disse que é preciso ter uma visão estratégica  de recuperação, que tem de ser pactuada com a sociedade